Abandonado por Deus?


Será Que Você Pode Encontrar Deus De Novo Depois De Cair Da Graça?

* * *

Um Testemunho De Esperança Para Os Cristãos Desviados

This Page in English


“Eu profanei à Deus , dizendo a Ele, ‘Vai embora! Vá em frente, rejeita-me.’ Depois Ele apareçeu para mim, ajoelhou-se na sujidade comigo e me segurou. Ele sussurou no meu ouvido, ‘JAMAIS’.Eu nunca irei abandona-la. NUNCA, NUNCA, NUNCA.’ ”


 

O Hebreus 6 e o Hebreus 10 significam que um cristão espiritualmente dotado e uma vez devotado, que rejeita Cristo, nunca mais poderá desfrutar de um relacionamento completo e glorioso com Deus? Se assim for, Eu estaria condenada. Depois de anos de angústia, entretanto, descobri a verdade irrevogável do vasto número de Escrituras afirmando que Jesus morreu por todos os pecados - que, por definição, deve incluir todos os meus pecados grosseiros cometidos depois da minha iluminação espiritual.

O meu testemunho é prova de que Deus aceita de volta todo aquele Cristão desviado que de novo coloca a sua fé no poder perdoador do sacrifício do Senhor Jesus.

Eu deixei de ser uma Cristã dedicadíssima, nascida de novo com uma relação maravilhosa e supernatural com O Senhor Jesus, pra me tornar numa pessoa escravizada por fantasias sexualmente pervertidas, odeiando Cristãos, e tendo 8 demônios. Embora eu ansiava voltar pra Deus, os muitos anos de luta tentando ganhar a aceitação de Deus pareciam apenas confirmar que Deus havia me abandonado pra sempre. Finalmente, Eu descobrí que não existe limite algum no poder de Jesus pra perdoar aqueles que põem a fé nele de novo.

Eu agora desfruto uma relação linda com Deus, alegre e satisfatória como nunca d’antes, e que vai ficando cada vez melhor.

* * *

Introdução por Grantley Morris

Eu conheço a Christine muito bem. A relação actual dela com Deus é tão especial, que francamente,eu fico até com inveja. Não somente é o Senhor o amor da vida dela, Eu fico perplexo de fascínio , pela forma que ela recebe revelações dEle diariamente. Ela muito generosamente permitiu que Eu escrevesse a história dela.

Sugiro que leia todo o testemunho, mas está devidido nas seguintes secções:


* * *

Escrituras Pertubadoras

Eu, Christine, alegro-me no alivío indescriptível de descobrir que Eu posso crer na Bíblia e sem ser mais atormentada pelo Hebreus 6 e Hebreus 10.

    Hebreus 6:4-6 Por que Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério.

    Hebreus 10:26-29 Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, Mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?

Eu estou vivendo a prova de que qualquer que seja o significado do Hebreus 6 e Hebreus 10, eles não podem fazer Deus de um mentiroso, que prometeu repetidamente na Bíblia perdoar toda àquela pessoa, que independemente das más obras do passado, se arrepende e põe a fé dele/a em Jesus suportando na cruz toda a punição por cada pecado nosso. Qualquer Cristão que volta pra Cristo encontra perdão, não importa o quão perverso e/ou repetido o pecado foi.

* * *

As Alturas Espirituais Das Quais Eu Caí

Ainda muito novinha Eu começei uma relação com Cristo que muitos Cristãos invejaríam. Isto, certamente que fora pela graça de Deus, e de forma alguma por algum feito meu. Eu compartilho o que compartilho nesta secção unicamente pra destacar o quão grande foi a minha caída e para encourajar àquele que acha que o seu pecado contra à luz que uma vez usufruía foi extremamente grave para o Senhor Jesus perdoar.

Quando Eu tinha 5 anos, Eu sentei debaixo de uma cereijeira e perguntei à Deus se Ele me amava. Ele respondeu com tanto calor e segurança que Eu estava certa que era amada. Apartir dalí, nós podíamos conversar e brincar como amigos. Foi tão íntimo e profundo que nada neste mundo me convenceria que não era Deus. Eu cantaria pra Ele e Ele fazia as árvores rangerem, como se estivessem aplaudindo, Eu ria e ria, quanta alegria Deus me dava.

Como criança Eu estudei numa escola Cristã e crescí no conhecimento de Deus. Profundamente apaixonada por Deus, Eu me empolgava tanto na hora de oração e dos estudos bíblicos que apartir dos 14 anos Eu tão alegremente dedicava no minímo duas horas e meia todos os dias fora daquele tempo da escola. Eu não só orava mas Deus falaria em minha mente muito claramente. As vezes as Sessões seríam tão gloriosas que Eu continuaria a noite inteira.

Chamada por Deus para ser uma intercessora, O Senhor me daría visões supernaturais de situações críticas no extrangeiro que Eu teria nenhuma outra chance de ficar sabendo. Enquanto Eu orava, Eu estava certa que libertações haviam ocorrido e mais tarde Eu recebia confirmação concreta de que realmente foi Deus e nao produto da minha imaginação. Em um caso, o destino espiritual de uma nação excluída de missionários estava em jogo. Eu acho possível O Senhor ter compartilhado estas revelações com outros intercessores que igualmente oravam , más Ele mesmo assim me incluía nesta responsabilidade previlegiosa de interceder por situações que eram desconhecidas por mentes humanas excepto por via de revelações divinas.

Em muitas ocasiões na minha vida Eu senti O Senhor me abraçar fisicamente. Sob a unção do Senhor Eu regularmente exercía dons espirituais supernaturais. Além disso, Eu servia na Igreja musicalmente e Eu estava muito envolvida em actos de serviços práticos tais como alimentando aos necessitados, ajudando crianças e mulheres vitímas de abuso e os com problemas mentais, e enviando Bíblias para países onde elas eram ilegalisadas.

* * *

Minha Caída Da Graça

Crianças são sempre ensinadas que as consciências delas é O Senhor Deus falando com elas. Assim como muitos Cristãos, Eu cheguei à fase adulta com pouco entendimento do quão perigosamente simplistica esta noção é. O peso de consciência não é sempre provocado por Deus. Se persiste até depois de procurar o perdão atravês do Senhor Jesus, uma consciência carregada de culpa já se trata do Tentador tentando nos enganar afim de duvidar-mos do Poder do Senhor Jesus pra perdoar. Minha incapacidade de discernir isto foi uma bomba à gota d’ àgua, que veio a explodir quando me divorciei.

Até onde consigo me lembrar, eu vinha batalhando com o peso de consciência. Ao em vez de destitui-la como sendo meramente uma tentação desagradável satanicamente inspirada pra me fazer duvidar da minha salvação paga por Cristo, entretanto, Eu começei a tomar o meu peso de consciência como prova de que Deus não havia me perdoado. Eu me sentia condenada por tantas coisas, maioria das quais Eu agora sei que nem pecados eram, tais como sendo molestada por um homem na minha infância. Não importa o quão grosseiros ou verdadeiros os meus supostos pecados foram,no entanto, Eu deveria ter crido que O Senhor Jesus os cancelou pagando com o Seu sangue, para que Eu agora estivesse inocente e pura nos olhos de Deus.

As coisas vieram à um ponto quando o meu marido sadisticamente violento e continúamente infiél se recusou a viver comigo. Até na noite do nosso casamento a violência e o trauma foram tão extremos que na manhã seguinte eu tentei me suicidar. Eu havia me casado por que pessoas prominentes na minha igreja clamando ser profetas insistiam que Eu estaria desobedecendo à Deus se Eu me recusasse a casar com um homem que nem eles nem Eu conhecíamos bem. Embora Eu não sentisse nada por este homem romanticamente, Eu acreditava que eles eram melhores que Eu em ouvir de Deus, e então, ainda na minha adolescência, Eu casei à ele assim que eles sugeriram. Logo depois, ele admitiu pra mim que ele fingiu ser Cristão e casou comigo somente para ganhar entrada no meu país. Eu vim a descobrir que ele nem havia esperado pelo casamento pra à infelidade dele e depois do casamento piorou o numeros de amantes.Sendo absolutamente contra o divórcio, Eu implorei ao meu marido para que pelo menos mantesse à aparência de casado enquanto ele tinha esses casos extra maritais, más ele negava até isso.

Ele via o casamento de uma forma tão mediocre que nem se importava em oficialisar o divórcio. Agradava-lhe viver com outras mulheres ou mesmo cometer poligamia do que se encomodar com a estampa vermelha do divórcio. Ainda mais pertubador pra mim era d’ele ser um viciado e traficador de drogas, autoridades governamentais ameaçavam tirar meu bebé de mim à não ser que Eu provasse o meu comprometimento em proteger o meu bebé me divorciando do meu marido. Eu já tinha tido que mentir dizendo que o bebé estava doente, escondendo que ele tentava chutar o bebé. Fisicamente doente com uma consciência carregada de culpa, Eu me senti obrigada a procurar o divórcio, crendo que o divórcio é um pecado grave mas vendo nenhuma outra solução pra proteger e manter o bebé que Eu quase morri pra dar à luz.

Eu tentei sempre manter minha relação com Deus mas porque nada podia parar os gritos tortuosos da minha consciência pesada, Eu escolhia acreditar que estes sentimentos insistentes de culpa significavam que Deus não estava aceitando as minhas orações pedindo perdão.

Eu estava rodeiada de Cristãos que estavam fortemente inclinados á cegamente negar o quão impossivél o meu casamento havia se tornado. Afinal de contas, “ profetas” respeitados haviam dito que este era um casamento de Deus. Instigados por mentiras sobre mim espalhadas pelo meu marido, amigos de uma vida inteira tornaram-se contra mim. Igrejas inteiras me rejeitaram. A resposta deles – satanicamente inflamados por minha consciência que se recusava a parar de me acusar daquilo que eu acreditava ser o pecado grosseiro de divórcio –levou-me à conclusão de que se pessoas de Deus me rejeitaram, então certamente que Deus havia me rejeitado.

Acreditar que não havia mais volta ao Deus que Eu tanto amava foi a experiêcia mais devastadora da minha vida, mas Eu precisava de alguma forma sobreviver por amor ao meu bebé. Me sentia forçada a viver como aqueles que não têm Deus. Achei amigos não-Cristãos e fiquei amarga. Uma feitiçeira me ajudou a ser dura. Embora ela tivesse “boas” intenções, se não fosse pela “ajuda” dela, Eu não tería passado por 8 anos de inferno.

Por causa do divórcio que quebrou o meu coração, Cristãos importantíssimos na minha vida me maltrataram e rejeitaram. Concluíndo que todos os Cristãos me rejeitaríam da igual modo, Eu resolvi me tornar inimiga de todos Cristãos. Politicamente,em campanhas Eu apoíava todo princípio anti-religioso que me aparecia pela frente. Eu disencorajava pessoas de ir pra igreja, ía contra organisações Cristãs, demitia Cristãos e ría me de toda malícia feita às costas deles pelos não-Cristãos. Eu também campanhava à favor da eutanásia, direitos homosexuais, e aborção.

Por alguns anos Eu achava uma diversão ter sexo sem compromisso, más as coisas tornaram-se azedas. Para escapar a dor e isolação, me entreguei à um mundo de fantasia onde Eu me engajava em relações sexuais com amigos imaginários. Visto que Eu já não acreditava em demônios , tornou-se totalmente irrecusável que Eu estava transando com demônios. Apesar de Eu ser heterosexual, muitas vezes Eu acabava tendo sexo com um demônio que sempre aparecia como uma mulher. Nem tão pouco se importando em polir o meu orgulho,este demônio tinha a audácia de dizer que apesar do meu corpo feminino Eu não era atractiva o suficiente, e insistia que Eu deveria ficar com o papel masculino. Eu me submetia à esta humilhação.

Um dos meus amigos “imaginários” clamava ser um pedófilo. Como uma vítima de abuso, Eu odeiava molestadores de crianças e ainda, dada a forma que os outros demônios haviam me corruptido, Eu sinto-me horrivél só de pensar que se eventualmente Eu não tivesse voltado pra O Senhor Eu teria terminado como uma molestadora de crianças, tal e qual as pessoas que Eu tanto despresava.

A vida era miseravél.Eu costumava me cortar com facas.Sofria pesadelos e ataques de pânico. Qualquer esperança de ser amada estava morta. Eu sentia dor além do que Eu podia compreender.Sem Deus. Eu concluí que a vida era minha e podia então termina-la. E mais ainda, visto que Eu ía me matar, tencionava tomar o maior proveito matando primeiro as pessoas que Eu odeiava demais. Eu não queria ir pra os céus. Eu era a rejeitada de Deus. Eu parei de acreditar no inferno,e Eu só queria que tudo viesse à um fim. Escrevi “suicídio” no campo de procura na internet e encontrei um site sobre havendo esperança em Deus. Eu despensei o site e encontrei outro que negava discutir religião. Esse pelo menos me manteu viva.

* * *

Anos De Fracasso Tentando Encontrar à Deus De Novo

Apesar de tudo, Eu ainda tinha boas memórias da relação linda que Eu uma vez tive com Deus. Anos e anos de desespero tentando voltar pra Deus contribuiram bastante para a minha deterioração. Eu havia tentado exceder para que Deus me dê-se uma segunda chance. Eu orava – algumas vezes continuando à noite inteira.Eu jenjuava – às vezes me restringindo à uma refeição leve por dia durante um mês inteiro. Eu estudava a Bíblia até o ponto de me recusar dormir. Eu devocionei um ano pra Colégio da Bíblia. Eu me punia. Quebrava o meu cerébro tentando descobrir e me arrepender de tudo que Eu fiz que concebivelmente seria pecado. Joguei fora tudo que Eu achava que ofenderia à Deus ( inclusive uns sessenta CD’s, quem me dera hoje se ainda os tivesse). Eu tentava colacar-me de pé na fé (que sempre falhava porque Eu estava procurando por sentimentos pra confirmar que a minha fé havia ‘funcionado’).Tentava assiduídade na igreja, dízimo, e serviço comunitário. Más apesar de tudo isso, pareceu a apavorante e inéscapavel conclusão de que Deus havia me abandonado e não havia nenhum jeito de tê-lo de volta.

Quando toda a tentativa Cristã que tinha em mente não me conveceu que Deus me aceitou de volta, Eu me tornei ao Budismo como uma forma de achar à Deus. Isto também foi inútil.

Deus significava tudo para mim e agora nada me convecia que Ele se importava mais. Eu estava esmagada mais do que palavras podem expressar. Finalmente, Eu não aguentava mais o sentimento de rejeição. “ Eu me divorcio de ti” Eu disse ao meu antigo Senhor, de coração quebrado.

Sem me aperceber, que Eu tinha literalmente caído da graça. Em vez de me grudar à verdade fundacional Cristã que salvação é “pela graça . . . atravêz da fé . . . não por obras” (Efésios 2:8-9) Eu havia caído no pensamento que Eu tinha que ganhar o amor de Deus pelas obras. Assim, revertendo-me às obras (apoiando-me nos meus esforços pra ganhar a aprovação de Deus) do que confiar no trabalho terminado de Cristo, Eu nunca saberia se Eu fiz o suficiente pra ganhar Deus de volta. Então Eu me sentia forçada a esperar por sentimentos e sinais de Deus pra confirmar que Eu estava salva.

Um problema em esperar sentir Deus é que Eu estava em profunda dor interna pra me permitir sentir qualquer coisa. E o problema em tentar ouvir de Deus é que Eu estava com muito medo de completamente ouvir à Deus, para que ele não me condene.

Mais ainda, sempre que O Senhor chegava à mim por meio de sentimentos, escrituras or sinal Eu os dispensava, permitindo que fossem afogados pela minha dor interior, medos,sentimentos de culpa, e memórias más de ser rejeitada por Cristãos.

Mas havia um problema mais sério ainda: como é que Deus me daria a confirmação que Eu tanto desejava, se Eu já havia abandonado o caminho dele da salvação? Por pensar que as minhas obras eram um aspecto crítico para salvação, Eu já não estava pondo a minha fé somente em Cristo. Se Eu tivesse crido que salvação é somente pela fé, Eu teria me forçado a acreditar que Eu estava salva, independentemente do que a minha consciência dizia ou o quão distante Deus parecia estar. Em vez disso, Eu havia me revertido às obras e esperava por sentimentos ou sinais ou aceitação por parte de Cristãos pra confirmar que Eu fui salva, do que contar com o imutável facto que Cristo morreu pelos meus pecados.

* * *

Encontrando à Deus De Novo

Finalmente, Eu discobrí www.net-burst.net e caíu o ponto de que salvação é pela fé em Jesus– que prova da minha salvação não depende nem um pouco do quão perto da perfeição a minha vida está ou como Eu me sinto ou em receber sinais de Deus, mas unicamente no facto imutável que Cristo morreu por todo o pecado.

Lentamente e relutadamente os meus olhos se abriram à realidade espiritual dos meus “amigos espirituais”. O prospecto de vida sem o comforto, companhía e excitação sexual que esses demônios traziam parecia terrivelmente sombrio, mas Eu queria a Deus desesperadamente. Particularmente, o mais assustador em expulsar esses maus espíritos era a minha forte dependêcia neles como a unica forma de cooperar com a vida sem Deus. O que Eu faria se Deus me rejeitasse de novo? Inicialmente, embora Eu resistisse corajosamente aos avanços sexuais dos demônios, Eu quis reservar a possibilidade de voltar pra eles em caso de Deus me abandonar de novo. Quando os demônios notaram que Eu não estava assim tão séria sobre expulsa-los permanentemente, todavia, eles foram encorajados a continuar se esforçando para me seduzir. Foi tortuoso. Finalmente, me determinei a me livrar deles para sempre. Depois eles me tentaram por algumas vezes mas quando viram o quão fortemente Eu estava decidida a grudar-me em Cristo e me livrar deles, eles saíram.

Depois Eu realizei que aqueles anos todos me achegando à demônios do que à Deus, havia sido nada mais do que traição da minha parte.

Eu tinha medo de deixar Deus fazer parte de segredos tenebrosos do abuso sexual na minha infância e outras fontes de medo e vergonha. Eu não só temia encarrar a dor dessas memórias que Eu tanto queria enterrar para sempre, mas temia que Deus ficaria zangado comigo por causa do meu passado e que Ele é muito Santo pra querer olhar para o abuso sexual degradante que Eu havia sofrido.

O meu anseio por guardar coisas enterradas provou ser um campo de Guerra mas pouco à pouco fui descobrindo que sempre que Eu confessava um segredo vergonhoso, Ele não me condenava mas sim era gentil, amoroso e me apoiava.

Sempre que Eu deixava Ele entrar num canto escuro do meu coração, Ele tão amavelmente jogava a luz dEle lá e logo as sombras assustadoras eram reveladas como pequenos estilhaços que não podíam mais me atormentar. Isto foi tão libertador e cicatrizante. A completa restoração levou algum tempo, pois Eu continuava,todavia, descobrindo novas areas em Eu precisava render à Deus.

Eu tambem precisei intender que apesar da sua santidade, Deus não é frio ou distante. Quando tentações embaraçosas e nos sentinmos derrotados, Ele anseia para que a gente corra para Ele, não dEle. Mesmo quando as minhas falhas me cobrem de desespero, condenação é a última coisa na mente do Senhor Deus. Sim, nesses momentos o inimigo das nossas almas incendeia sentimentos de culpa em nós até niveis tão intoleravéis, mas Deus não faz parte disso. Pelo contrário, Ele anseia por me confortar e levantar quando me confronto com o pecado e vergonha. Esta ajuda divina é essencial ao meu bem-estar espiritual mas por muitas vezes E Eu a perdia porque sempre me encolhia em medo e vergonha, não crendo que Deus desejava vivamente me consolar.

Outro maior problema foi que Eu estava com muito medo de me deixar apaixonar totalmente por Deus. A dor de anteriormente achar que Eu havia perdido Deus pra sempre foi tão horrivél que Eu acho que não a suportaria de novo. Que seria pois, se Eu me deixasse apaixonar tão profundamente com d’antes e Ele me abandonasse de novo? Gradualmente, porém, a minha confiança foi se fortificando e tomando forma até Eu me dar conta que mesmo se fosse pra Eu fazer o impensavél e ser tão tola de fugir de Deus de novo, Ele ainda anseiaria pelo meu retorno. Assim como o Pai do filho pródigo, meu Pai Celestial aguardaria ansiosamente pelo meu retorno pra que Ele então corresse pra mim, me colocasse no conforto dos seus braços e ainda me cobrir de presentes de novo. Então parei de me restringir, e finalmente decidi deixar meu coração se apaixonar perdidamente pelo meu glorioso Senhor.

* * *

Minha Relação Maravilhosa Com Cristo Hoje

Por anos, estive certa que Eu fui abandonada por Deus, rejeitada pra sempre. Agora sei que sou acalentada como a amada dEle. Sentir-se amada ou perdoada faz tudo ficar mais verdadeiro? Certamente que não.E se Eu não sentir,será que isso faz do Senhor Jesus um pouco menos meu Salvador? Claro que não. Tudo é tão óbvio agora, mas por dolorosos anos, o inimigo havia conseguido me tapar os olhos de tal maneira que nem lógica me ajudava. “O deus deste século cegou a mente dos incrédulos” (2Coríntios 4:4) verdade Espiritual só pode ser vista por olhos que acreditam e Eu havia parado de acreditar. Eu acreditaria por outros, mas não para mim mesma.

Eu estava cega pra verdade da minha salvação porque havia deixado escorregar pelos dedos à fé no poder do Senhor Jesus de salvar a todos que chamarem por Ele (Actos 2:21; Romanos 10:13). Eu estava tão focada na gravidade do meu pecado que Eu já não conseguia ver a grandeza do meu Salvador. Se Eu apenas tivesse continuado a forçar os meus olhos a saírem de mim e fixa-los somente no meu Salvador; deixar todos gritos acusadores sumirem da minha consciência e ouvir apenas os choros de agonia sofridos pelo Senhor Jesus para pagar a minha dívida, seguidos pelo louvor ferveroso assim que Ele subia aos Céus para me reivendicar como dele . . .

Eu Poderia me provar boa o suficiete pra desfrutar intimidade eterna com o Santo Cordeiro? O peso da prova está em Jesus, não em mim. Foi fixada 2000 anos atráz. A única forma de Eu ser imperdoavél quando procuro ser perdoada atravês do Senhor Jesus seria se Ele não tivesse morrido para alguns dos meus pecados.E se assim fosse, faria de Deus um mentiroso, que declarou na Santa Escritura que Jesus morreu pelos pecados de todo o mundo (Isaías 45:22; João 1:29; 3:17 2; Coríntios 5:19; 1 João 2:2; 4:14). Ele colocou em preto e branco na Escritura e assinou com o santo sangue de Jesus.

Eu foquei tanto na minha dor – gerada por Eu erradamente achar que o Senhor Jesus é menos que o Salvador Omnipotente que Ele é – que Eu não sabia que Deus estava torcendo de dor – por Eu não aceitar a realidade do perdão e amor dEle.

Visto que os incrédulos são cegados por forças demôníacas, a única saída era de agarrar a fé, mesmo enquanto ainda cega e com sentimentos falsos de culpa e a falta de esperança eram tão esmagadoras e entorpecentes como se o que o céu chama de guardar a fé parecesse um desejo de conta de fadas. Em nome de Jesus Eu tinha que comandar as forças me cegando pra saírem. E Eu tive que continuar resistindo à eles persistidamente me grudando à fé no poder do Senhor Jesus de salvar os mais depravados, enquanto gentilmente ignorando tudo que em mim gritava “Imperdoavél!”

Eu zombei de Deus, me ajoelhei de dor e blasfemei , dizendo à Ele, “Vá embora! Vá avante, rejeita me. Eu sou nada.” Depois, chame visão ou como preferires, Ele aparecia pra mim, ajoelhava-se na sujidade comigo e me segurava. Ele sussurava em meu ouvido, “JAMAIS”. Eu nunca te deixarei ou abandonar-te-i. NUNCA,NUNCA,NUNCA. Eu te amo e sou obcecado por tí.”

Desde que voltei para Deus, tenho gozado de novo as alturas espirituais que sempre gozei nos meus anos de lua de mel espiritual. Muito mais entusiasmante, entretanto, é o facto da minha caminhada com Deus estar muito mais melhor que antes da minha caída pois não dependo mais de sinais espirituais. O que possuo é muito mais forte que os meus sentimentos e qualquer outra coisa que Eu já tive d’antes. Eu posso atravessar momentos em que não tenho indicação de que Deus está comigo, e ainda assim estar totalmente certa que Ele me ama e nunca irá me abandonar como quando O Senhor me dá sinais especiais ou sentimentos calorosos e fala intimamente comigo. O que me alegra mais ainda é que agora Eu tenho uma segurança real. Não dependo mais de sentimentos flutuantes ou sinais especiais de Deus pra estar segura no amor de Deus e da dependência inabalável da promessa que Ele jamais desampara os seus filhos.

O que tenho agora é uma fé guerreira que Deus é fiel na palavra dEle apesar de todas coisas brutais e tolas que fiz. Eu agora sei que se Eu pisar na bola, o Santo Imaculado Deus vai humildemente se sentar junto de mim ,logo que Eu fixar os meus olhos nEle. Mesmo quando estiver me sentindo carregada de culpa pra conser me perceber disso,Ele vai me abraçar carinhosamente, amorosamente limpar-me de toda sujeira, cuidará de todas feridas e medos que me perseguem, e me levantar de novo para o trono dEle. Ele é o meu amigo fiel.

Não é a minha natureza que determina a fidelidade de Deus; Ele é fiel por causa da natureza dEle. Ele é fiel porque Ele é fiel. Consequentemente , Ele é fiel para tí assim como Ele é também para qualquer pessoa no universo.

* * *

Comentário por Grantley

Ao longo dos últimos meses, desde que a Christine re-descobriu o perdão de Deus, Eu tenho estado de queixo caído ao ver o quão a vida espiritual dela desabrochou. Todas as Escrituras e tudo o que ela aprendeu no passado de repente parece ter sido re-activado. Eu me recordo de Jesus, sabendo que Pedro o negaria, e ainda assim dizendo, “E tu, quando te converteres, confirma teus irmãos (Lucas 22:32). Isto é exatamente o que a Christine está fazendo. De repente, toda mágoa e tormento demônico que ela sofreu quand alienada de Deus não é mais um desperdício mas está a capacitando a ministrar com tremenda eficácia para outras pessoas feridas.

Verdadeiramente, todas coisas – mesmo os anos em que escorregamos– cooperam juntamente para o bem daquele que volta ao Senhor.

* * *

A Experiencia De Outra Pessoa

Eu honestamente achava que estava salva. Depois de cerca de 18 anos pequei gravemente. Isso abriu algumas portas horrivéis. Eu tentei muito mesmo voltar para Deus mas parecia impossivél alcança-lo. Por uns três anos e meio fui pertubado de pensamentos atormentadoresde que me tornara numa apóstata. Eu estava convencida que Eu havia cometido o pecado imperdoável e que o Hebreus 6: 4-6 claramente afirmava que Eu já havia ultrapassado todos os limites e agora Eu estava condenada.

Por todos aqueles três anos e meio Eu nunca senti a presença do Espirito Santo. Eu lia as Escrituras mas me sentia mais condenado por elas. Depois, um dia sentí o Espírito Santo numa reunião de orações. Desde então Eu vou a Igreja e reuniões de oração e sinto o perdão do Senhor. Porém, quando Estou sozinha e deprimida, Satanás ainda me diz que Eu não uma Cristã de verdade, estou condenada, cometí o pecado imperdoável e passei por cima da redenção de Deus. Mesmo assim que Eu sei que é Satanás, eu começo a acreditar nele.

Eu lí um artigo na internet sobre uma pessoa que clamava ter cometido o pecado imperdoável e descreveu graficamente a situação que ele passou. Fiquei pasma. Muito do que ele disse parecia o mesmo comigo. O Senhor me mostrou que, entretanto, isto não era biblíco, não existem tais coisas na Biblía.

Uma vez, depois de uma semana muito difícil, Eu já estava preparada a desistir quando de repente sentí O Senhor me dizendo para simplesmente confiar em Cristo.

Citando ás Escrituras me ajuda, tais como aquelas que afirmam que Satanás é mentiroso, a misericórdia de Deus dura pra sempre, Deus é amor, etc

Aprendí que independemente do que Eu for a passar, a única verdade é a Biblía. Deus nos ama e anseia por nos mostrar a sua misericórdia. Assim dizem as Escrituras sagradas, então é verdade. A Biblía afirma que se nós procurar-mos ter o perdão de Deus, atravês de fé em Cristo, Ele nos perdoará. A Biblía também diz que Satanás é um mentiroso, nos odeia, e quer nos condenar. Cristo morreu de uma forma horrivél na cruz por nós, para sermos perdoados, como ilustrado no filme “The Passion of the Christ” (traduzido: A Paixão de Cristo). Meu pecado matou Jesus Cristo, mas Ele derrotou a morte, subindo aos céus para me justificar. Para Eu ser perdoada por Deus, tudo o que Eu devo fazer é crer no meu coração que o sangue precioso de Cristo me purifica de todo pecado e me faz receber o perdão de uma forma completa e incondicional. De novo, tudo isto vêm da Biblía, então é definitivamente verdade por que Deus não mente.

Se sentes que algo está te faltando nesta crença, lembra-te que tu podes orar. A Escritura nos diz que podemos orar sobre qualquer coisa. A falta de confissão de nossos pecados abre ás portas para ataques satánicos.

Demasiado medo de pensar que Eu cometi o pecado imperdoavél ás vezes bate em mim mas contudo a verdade é que, tal como a Christine no testemunho acima, Eu sou perdoada por crer que O senhor Jesus derramou o seu precioso sangue por mim. Descobri que arrependimento divino é simplesmente ter fé que depois de confessar o seu pecado, Cristo vai te purificar e te perdoar. Tão simples assim. Tudo que devemos fazer é ignorar os ataques satánicos de medos irracionais e continuar resistindo a tentação de duvidar. Nós sabemos que mesmo O Senhor Jesus era tentado,então falta de tentação nunca é um sinal de maturidade espiritual. Ás vezes, lutando contra tentações fortes agarrando-se à crença de que o sangue de Jesus nos lava de todos pecados e resistir à tentação de duvidar não é tarefa facíl, mas se Eu consigo, tu também consegues.

Imperdoável? O Pecado Imperdoável da Blasfêmia contra o Espírito Santo

O que Faz um Pecado Imperdoável? Uma Resposta Clara e Bíblica

Escrupulosidade: Preocupado com a Salvação, Pensamentos Blasfemos, Severos Sentimentos de Culpa

Quando um cristão não para de ter pensamentos blasfemos: Pecado Imperdoável ou mera tentação?

Perseguido por Pensamentos de Blasfêmia Meus Medos do Pecado Imperdoável

Vivendo com a Falsa Vergonha de Pensamentos de Blasfêmia

Charles H. Spurgeon Confessou ter tido pensamentos blasfemos

George Whitefield: Satanás, Pecado e Pensamentos Blasfemos Incontroláveis


Para mais páginas em Português, veja Português

Bible Commentaries on Hebrews 6

The Next Step:
If you need a break from reading, now is a good time. If your spiritual need is genuine, however, it is important that you don’t lose this web address and that you return when you can and read more.

Next Testimony: (Short)
Condemned by Hebrews 6:4-6

Not to be sold. © Copyright, 2006, 2007, 2017 Grantley Morris. Not to be copied in whole or in part without citing this entire paragraph. Many more compassionate, inspiring, sometimes hilarious writings by Grantley Morris available free at the following internet site www.net-burst.net Freely you have received, freely give.


Would you like to receive prayer?

Would you like to write to the author?

Here’s your chance!

[E-mail] Click the icon, or E-mail by the method of your choice: guilt@net-burst.net

Vital Help

[Much More!] [E-Mail Me] [My Shame]